(31) 2551-5183
Branded Content

Um tipo de branded content ainda pouco explorado pelas empresas no mercado brasileiro é o podcast, um arquivo digital de áudio usado para transmitir informações pela internet.

Nos Estados Unidos, a consultoria PWC (PricewaterhouseCoopers) apontou a ferramenta como uma tendência. Ali, os investimentos aumentaram 86% em 2017 em relação ao ano anterior (US$ 169,1 milhões). Branded content e anúncios institucionais responderam por 35,7% desse acréscimo. No estudo, a PWC projetou que o investimento em podcasts dobraria até meados de 2020.

Quais são os diferenciais do podcast?

O que faz do formato atrativo é o fato de o leitor não ter que parar para ouvir, a exemplo do rádio.

Segundo a consultoria, a audiência também é mais propensa a entender a mensagem, a fazer compras e a ser mais fiel: o público que gosta passa a ser um público cativo.

Quais os tipos de podcast?

Existem diferentes formatos de podcasts e cada um tem objetivos distintos. Vamos conhecer alguns destes formatos a seguir.

  • Entrevista: cada episódio o apresentador do podcast recebe um entrevistado diferente. Este convidado é escolhido de acordo com a pauta do episódio, que pode ter vários temas sobre o mesmo assunto – o melhor desse meio é alcançar não só a sua rede de ouvintes, mas também da pessoa entrevistada.

Também funciona como um espaço de troca de experiências, o que acontece de forma muito natural. Se quiser investir nisso, recomendamos que você sempre tenha um roteiro disponível, mas tenha em mente que conversas desse tipo deve sempre ter um momento para um novo comentário ou assunto não programado.

Lembre-se também que para ficar mais interessante, mesmo que seja formal, é preciso haver uma conexão entre o host e o convidado – além de ter boas informações sobre o assunto e ser bastante comunicativo, transferindo isso para a sua audiência;

  • Informativo: a ideia deste formato é transmitir informação ao ouvinte, por isso é considerado o mais próximo de um programa de rádio – já que recorda muito os intervalos que ouvíamos (ainda escutamos) as notícias nas redes AM/FM.

O diferença entre um podcast neste formato e um programa de rádio é que está disponível a qualquer momento na internet. Esses programas geralmente são conduzidos por jornalistas e apresentam um tom muito leve;

  • Painel: é um formato de podcast muito interessante, mas, caso seja gravado de forma amadora pode tornar-se muito confuso. É marcado pela presença de um apresentador e mais de um convidado!

O formato exige muita gestão e bons equipamentos, caso contrário, a gravação pode ficar muito desconexa e resultar em uma péssima experiência para o ouvinte. Por isso, se quiser investir nesse tipo de podcast, procure por profissionais que já tem experiência no segmento para que possam conduzi-lo da melhor forma;

  • Individual: este formato é muito simples tecnicamente, no entanto, é preciso ter autoconhecimento antes de optar por gravar este tipo de formato. Dizemos isso porque será apenas o apresentador e o microfone, então, parte da dinâmica como a encontrada em uma entrevista se perde.

A vantagem é que essa edição será muito mais simples e não haverá preocupações com agenda de convidados ou equipamentos avançados de gravação.

Se abordar temas específicos, você terá a oportunidade de se tornar referência no assunto, construindo assim uma ótima marca pessoal!

Podcast é uma boa mídia para marcas?

Como não existem regras para o sucesso do conteúdo da marca (branded content), apostando na diversidade de canais, certamente, vai conseguir aumentar a probabilidade de conquistar o público e favorecer o engajamento da audiência.

A condição prévia indispensável para que a empresa seja vista com bons olhos também no formato podcast é o conteúdo. Não adianta fazer uso do podcast se a linguagem e a mensagem não forem apropriadas ou sem despertar a curiosidade, a surpresa ou trazer novidades.

Uma boa agência de assessoria de imprensa já se deu conta disso e está apta a elaborar um projeto de podcast, contemplando, inclusive, releases de podcast.

Como fazer um podcast?

Nesse tipo de estratégia pode fazer parte do roteiro do podcast uma linguagem mais solta, cases, storytelling, humor – isso, claro, em harmonia com o ramo de atuação da empresa, tendo em vista seus objetivos e a quem se destina a mensagem.

Os diferenciais são a liberdade na comunicação e o foco nas necessidades do público.

As estratégias podem ainda contar com anúncios inseridos na mensagem a ser transmitida. Dada à semelhança com o rádio, a predisposição de o público ouvir publicidade sem interromper a reprodução do podcast é muito maior do que se ele estivesse acessando um vídeo numa rede social, por exemplo. Isso torna o podcast bastante efetivo como instrumento de marketing.

Como uma assessoria de imprensa pode ajudar?

As empresas não podem deixar isso fora do radar, visto ser uma chance de conectar a marca à audiência. As assessorias de imprensa que trabalham com a ferramenta acreditam que o podcast é capaz de humanizar a marca, dando a ela uma voz, uma entonação, transmitindo sentimento, personificando-a com uma identidade única. Isso estabelece e estimula uma relação com base afetiva com o público-alvo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *