(31) 2551-5183
Ecommerce

Se você quer abrir uma empresa de desenvolvimento de aplicativos (ou trabalhar em uma), eventualmente precisará aprender como fazer aplicativo para ecommerce. Afinal, atualmente esse é um dos segmentos mais concorridos do nosso país e que mais vem crescendo, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. Portanto, é uma área importante para trabalhar atualmente.

Para se ter uma ideia, estima-se que o ecommerce brasileiro faturará R$100 bilhões neste ano, uma vez que a maior parte das pessoas não fará compras presencialmente por causa do isolamento do novo coronavírus. Portanto, estamos vendo um período em que as lojas virtuais estão se estabelecendo como as principais para os consumidores e isso permanecerá assim nos próximos anos.

Mesmo que a pandemia acabe amanhã, as pessoas permanecerão acostumadas a fazer compras pela Internet, o que manterá as lojas virtuais em alta. Considerando que a maior parte das pessoas têm um celular nas mãos, é importante aprender como fazer aplicativo para ecommerce de modo a faturar mais.

Quer aprender algumas dicas de como fazer aplicativo para ecommerce? Então siga a leitura!

Como fazer aplicativo para ecommerce em 5 dicas

1. Invista em segurança

A alta do ecommerce e o conforto da compra em casa trouxe vulnerabilidade para os dados dos compradores. Investir em um aplicativo seguro é essencial para proteger seus clientes e passar credibilidade. Se possível, utilize uma empresa intermediária para lidar com o processamento do pagamento para proteger dados de cartão de possíveis invasões.

Outra boa dica para garantir a segurança do seu aplicativo para ecommerce é usar criptografia de ponta para proteger a comunicação entre o usuário e o servidor da sua loja digital. Isso ajuda a garantir que a informação não será facilmente acessada por quem estiver na mesma rede de conexão.

2. Cuide da acessibilidade

Você sabia que mais de 6 milhões de pessoas no Brasil são deficientes visuais? Isso quer dizer que milhões de pessoas são prejudicadas por não ter acessibilidade em atividades comuns, como compras pela internet. Ter um ecommerce acessível para todos é um diferencial positivo e em alta para os anos seguintes. Layout limpo, letras grandes e escrita concisa são fatores que facilitam a vida de quem tem algum impeditivo visual. Legendar vídeos e evitar colocar palavras em imagens são ações simples e que trazem grande retorno.

Uma ideia interessante pode ser adicionar opções de áudio para quem quer fazer compras no seu ecommerce. Essa opção ajuda a entender o produto e preço pela via sonora.

3. Contrate um profissional de acordo com as suas expectativas

Planeje os objetivos de seu ecommerce. Se busca grande fluxo e alta demanda de pedidos, contratar uma empresa especializada e que ofereça suporte técnico pode ser a melhor opção. Caso seja uma empresa local, com pouco fluxo, um programador autônomo pode ser suficiente para o trabalho. É claro que ele, sozinho, não dará conta de todo o trabalho. No entanto, ele poderá usar sistemas pré-prontos para adaptar e garantir o seu ecommerce.

E se estiver iniciando agora na área de vendas, sem grandes verbas, é possível utilizar ferramentas automáticas de criação de aplicativos, ou se filiar a um aplicativo de marketplace, que oferecerá todo o suporte que precisa sem preocupações.

Já se o seu negócio for maior, vale a pena contratar um time completo não só para ter maior flexibilidade (mais programadores significa maior poder de customização), mas também para ter uma manutenção mais eficaz.

4. Tenha um responsável exclusivo para seu ecommerce

Um aplicativo pode parecer simples, mas ele funciona como uma loja. Estoques devem estar sempre atualizados, banners devem corresponder com promoções vigentes, fotos devem retratar seus produtos de forma fidedigna. Tenha um funcionário responsável para lidar com as atualizações do site e para registrar e repassar os pedidos feitos pelos clientes. Sem este setor, a loja pode rapidamente cair em desorganização, perder dados de compradores e garantir uma reputação ruim por muito tempo.

Dependendo do volume de vendas, talvez só um profissional pode não ser o suficiente. Nesse caso, pode ser necessário ter um time mais completo para cuidar do seu aplicativo e da sua loja digital.

5. Mantenha canais de atendimento em tempo real

Com tantos aplicativos surgindo da noite para o dia, é natural que o atendimento humanizado volte para trazer confiança para o comprador. Tenha canais de atendimento em horário comercial, como Whatsapp ou um chat próprio do aplicativo, e responda com cordialidade e sem atrasos. Comunicação com o cliente é essencial!

Se for um trabalho muito grande, instale um chatbot no seu aplicativo. Isso ajudará a aliviar muito a carga de atendimento, já que o robô cuidará da maior parte dos clientes.

E aí, aprendeu como fazer aplicativo para ecommerce? Agora é só colocar tudo isso em prática para desenvolver apps que são mais seguros, intuitivos e fáceis de usar. Desse modo, será mais fácil conseguir uma oportunidade em um mercado de trabalho concorrido, mas com muito potencial de crescimento, especialmente porque os smartphones e tablets não vão a lugar nenhum no futuro próximo.

Gostou do conteúdo? Comente embaixo com a sua opinião!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *