(31) 2551-5183
Marketing-suplementos

Um e-commerce é uma loja virtual tida como extensão de uma loja física, ou até mesmo puramente digital. Portanto, seu objetivo último é atuar na Web de maneira a incrementar o faturamento da empresa em questão.

Está cada vez mais comum as compras através da internet, e os eventos recentes no mundo vieram para acelerar essa digitalização das vendas. 

De certo modo, empresas fora da internet deixam de faturar muito, quando levamos em conta o potencial escondido nos veículos digitais.

O Marketing Digital é a área do Marketing que trata das interações entre usuários da Web e as marcas. É também um conjunto vasto de ferramentas que visa solucionar diversos problemas de comunicação entre as partes.

Vamos aprender um pouco mais sobre o assunto!

Como utilizar SEO em um e-commerce?

Para um e-commerce, como se trata de um ambiente voltado às vendas, é interessante que se tenha bastante tráfego orgânico. Ou seja, em outras palavras estamos falando em SEO e sobre como os mecanismos de busca funcionam.

Com o acúmulo de conteúdo otimizado, o e-commerce passa a receber visitas de maneira consistente e passiva. Então, investir em materiais de qualidade é o primeiro passo para melhorar as vendas de um e-commerce de suplementos.

Podemos separar o SEO das páginas em 3 ramos:

  • palavras-chave;
  • conteúdo textual; e
  • imagens.

Vamos aos detalhes de cada um deles!

Palavras-chave

Todas as estratégias de Marketing Digital giram em torno de uma palavra-chave (também conhecida como Keyword, KW). A atenção, neste ponto, deve estar tanto na hora de escolher uma KW quanto no momento de utilizá-la ao longo do conteúdo.

Existem várias ferramentas que podem ajudar no momento da escolha de uma KW. A mais famosa — e gratuita — é o Google Keyword Planner, o qual está no conjunto de ferramentas do Google Ads.

O ideal é escolher uma KW que possua um tráfego mensal interessante, ao passo que apresenta baixa concorrência. Em resumo, as long tails são as melhores para um e-commerce recém-criado.

Conteúdo textual

O conteúdo textual do e-commerce, mais precisamente em suas páginas, é de extrema importância. A razão disso é que, na hora de indicar uma página, o Google leva em conta o quão completa é a resposta para uma determinada pergunta.

Portanto, separar o conteúdo em títulos e subtítulos, buscando responder questões acerca dos produtos, pode ser uma estratégia muito promissora.

Leve em conta que o conteúdo deve possuir, no mínimo, 300 palavras (mas o recomendado são 2.000), estar focado em uma palavra-chave específica, oferecer links para complementar a resposta e estar disposto de maneira lógica.

Imagens 

O principal intuito de uma imagem no conteúdo de uma página, de acordo com o Google, é incrementar as informações de modo a aumentar a completude da resposta oferecida pela página.

Ou seja, embora escolher imagens bonitas seja legal, tenha em mente que, além de não ajudarem em nada, podem acarretar punição por parte dos mecanismos, uma vez que pode confundi-los.

Além disso, vale lembrar que uma métrica de SEO forte é o tempo de loading do conteúdo. Ou seja, uma imagem muito pesada, embora ofereça informações extras, pode atrapalhar a boa experiência do usuário.

Porém, não se pode sacrificar qualidade para conseguir tempos de carregamento menores. Procure balancear estas duas métricas.

E-commerce também deve investir em tráfego pago?

Uma das ferramentas mais poderosas do Marketing Digital é o tráfego pago. Em resumo, ele consiste na troca de dinheiro por visitações em uma página ou de um conteúdo.

Porém, se fosse apenas isso, seu poder não seria tão retumbante: podemos usar as informações das redes sociais e até do Google para encontrar usuários interessados nos produtos do e-commerce. 

Em geral, o custo para usar essa tecnologia é muito baixo, quando comparado ao potencial de retorno que ela proporciona. Só para exemplificar, um pequeno investimento pode trazer, com facilidade, mais de 50 mil visualizações para sua empresa.

Anúncios nas redes sociais

As redes sociais estão cada dia mais em pauta no mundo do Marketing. Afinal, é um dos poucos lugares onde se pode difundir ideias, serviços e produtos com enorme velocidade.

Estima-se que quase metade da população mundial faz uso de alguma rede social. Portanto, é um mercado gigantesco, com potencial de lucro virtualmente infinito.

Os anúncios funcionam da seguinte forma: um material é escolhido para ser apresentado e, em seguida, pode-se segmentar o público de interesse. Assim, o anúncio só vai aparecer para usuários com potencial de retorno. 

Utilizando os recursos do Google

O Google, além de também trabalhar com anúncios parecidos com os das redes sociais, também vende posição em seu SERP. Ou seja, ao pagar uma determinada quantia, sua página vai aparecer em primeiro lugar quando termos relacionados com ela foram pesquisados.

Há um leilão de clique e, a depender da palavra-chave, um clique pode sair muito caro para o anunciante.

Gostou das informações? Compartilhe!

 

Deixe uma resposta