(31) 2551-5183
Seo

O SEO para ecommerce em 2021 se mostra mais que essencial. Com a quantidade de lojas e artigos presentes no Google, houve a necessidade de criar técnicas e regras para que somente os melhores deles ficassem no topo. Ao todo, 90% dos usuários que fazem pesquisa não avançam para  a segunda página. E, quando se trata de receber dinheiro com o Google ADS ou até mesmo vender, estar na primeira página vai além de status e envolve também as condições financeiras. 

Algumas empresas preferem investir nos anúncios do que no SEO, mas esse é um erro cruel e obscuro já que as menores taxas de cliques são sobre eles. Os analistas de SEO estão cada vez mais conhecidos no atual mercado e não é por pouco, já que o sucesso de uma marca pode depender exclusivamente deles. Quanto mais visitas um site recebe, melhores serão os resultados de vendas ao balanço no fim do mês. 

Portanto, foi pensando na relevância do assunto que separamos algumas dicas para aplicar o SEO para ecommerce de forma correta. E então, quer saber mais sobre o assunto? Basta continuar a leitura conosco!

1. Traga uma boa experiência para o usuário

Sempre que o seu usuário entra no site e sai de forma rápida, sem ao menos visualizar a página, é comum que as taxas de rejeição aumentem e, consequentemente, o rankeamento seja prejudicado. Isso pode ocorrer por uma série de razões diferentes, sendo a principal delas o carregamento lento ou o site difícil de ser navegado. 

Para isso, deve-se pensar em solucionar o caso com hospedagens melhoradas, às vezes, as hospedagens gratuitas podem ter um desempenho ainda melhor do que as pagas. Por isso, é extremamente importante que se realize uma pesquisa aprofundada sobre o assunto para descobrir quantas pessoas podem acessar a sua plataforma, qual a quantidade de GB e muito mais. 

Os tipos de hospedagens também variam, já que existe a compartilhada (que divide o espaço com outros sites), a VPS que é uma alternativa intermediária e também o servidor dedicado que não possui limitações em relação às configurações já que somente o seu site estará localizado nele. O site MEUPC.NET já publicou uma matéria mostrando de forma mais profunda e específica quais são as diferenças entre ambos, para saber mais, basta clicar aqui

2. Pesquise a palavra chave correta para o SEO

Outro ponto é realizar a pesquisa correta da palavra chave. Por exemplo, imagine que deseja falar sobre o marketing digital para as empresas. O volume pesquisado pelo Marketing digital é maior que os outros termos secundários como “empresa”, “ADS”. Essa palavra chave deve estar incluída também no título e primeiro parágrafo do assunto. Isso irá fazer com que o Google consiga identificar quais são os assuntos abordados. 

Vale ressaltar, neste ponto, a importância das palavras secundárias. Por exemplo, esse artigo tem como palavra chave principal o SEO, mas as secundárias são “marketing digital”, “ecommerce”, “loja online”, “sites” e muitas outras. 

A Meta é um breve resumo que fica no Google para que o leitor saiba sobre o que se trata o artigo. Ela também é extremamente importante e relevante, não deve ser deixada de lado em nenhuma das hipóteses. 

3. Código fonte

O código fonte determina se o artigo está sendo rankeado e lido pelo Google – além de mais uma centena de funções. Com ele, pode-se analisar e alterar as cores, textos e muitos outros. Uma ideia é analisar se há rankeamento repetido, como está a canonical e se os links estão como dofollow e nofollow. Há uma centena de tutoriais na internet que falam sobre o tema. 

Para que ele seja analisado, é importante que haja a contratação de uma consultoria de SEO. Raramente ele consegue ser feito por um redator que escreve em SEO, por exemplo, já que não se trata apenas de redação mas também de tags, códigos, softwares e algoritmos. 

4. Imagem de qualidade no SEO

É muito importante que se utilize imagens fornecidas  por bancos. O Google compromete o plágio e, neste caso, também não será diferente. Todos os sites que pegam conteúdos copiados, geralmente são penalizados com a dificuldade de rankeamento. 

É exatamente por isso que as grandes empresas possuem fotógrafos para bater as fotos ou então, preferem contratar um banco pago para fazer o uso. Há ainda os gratuitos como é o caso do FreePik que conta com milhares de fotografias e edições para todos os gêneros, seja saúde, tecnologia, passeios, paisagens, política e até mesmo SEO. 

Sempre que escrever um artigo, adicione também o texto alternativo. É indicado que o texto alternativo contenha a palavra chave ou então, adicione-se o próprio título. Imagine que está publicando uma TV LED, pode adicionar:” AOC Roku TV Smart TV LED 43” Full HD 43S5195/78 com Wi-fi, Controle Remoto com Atalhos, Roku Mobile, Miracast, Entradas HDMI e USB”. 

 

Deixe uma resposta